Opinião

Eleitor de Alckmin, Cássio flerta com eleitor de Bolsonaro

21 de setembro de 2018 às 14h33 Por Heron Cid
Cássio Cunha Lima em entrevista ao Arapuan Verdade (Rede Arapuan de Rádio)

Os ouvintes do Arapuan Verdade (Rede Arapuan de Rádio) tiveram uma surpresa ao ligar o rádio hoje. Na entrevista da série com os candidatos ao Senado, o senador e candidato à reeleição Cássio Cunha Lima (PSDB-foto) fez uma fala simpática ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Dirigente nacional do PSDB, Cássio criticou “o erro de comunicação” da campanha do seu candidato, Geraldo Alckmin, pelo ataque a Bolsonaro. Para Cunha Lima, o capitão reformado soube catalisar um sentimento de indignação da população brasileira.

Um enfrentamento a Jair, na ótica de Cássio, é fazer o caminho da contramão de contingente significativo da população.

“Ele está sendo intérprete desse sentimento. Então, dizer que isso é uma aventura não é correto. Isso é coisa de quem quer dividir o Brasil entre nós e eles”, fundamentou.

Não parou por aí. O tucano paraibano também defendeu a flexibilização do armamento, uma tônica da campanha do candidato do PSL. No caso de Cássio, a defesa foi para os moradores da zona rural, sobressaltados com a violência no campo.

O senador sustenta seu voto no primeiro turno com a candidatura de Alckmin, notadamente em situação de baixo desempenho. Mas, pela linha do discurso, não terá qualquer dificuldade de votar em Bolsonaro num cenário de segundo turno contra Haddad.

A declaração consolida a condição do paraibano – vice presidente do Senado – como convicto antipetista, o que já vem fazendo religiosamente no Senado.

Para Cássio, vale tudo, menos o PT. Até, flertar com propostas e candidaturas mais radicais…

Ouça parte da entrevista:

Vídeo

Secretário de Segurança da PB vê “muita coisa boa” no Plano de Moro


Imunidade alta

Dona Candinha garante que no Governo Bolsonaro ninguém gripa:

"É muita vitamina C!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com quantos deputados a oposição realmente conta na Assembleia?
NÚMERO

65 e 62

Idades mínimas para aposentadoria de homens e mulheres, respectivamente, constante da proposta do Governo Federal para a reforma da Previdência.