Opinião

Paraíba, do inferno ao céu em cinco dias

14 de setembro de 2018 às 18h39 Por Heron Cid
Ricardo Coutinho, governador da Paraíba, ao centro; socialista enverga, mas não quebra

O Governo foi do inferno ao céu esta semana. A fatídica começou com a maior crise da segurança das últimas décadas, a terrível explosão do PB1, que incinerou irremediavelmente o título de “segurança máxima” da penitenciária de Jacarapé.

O preço do desgaste foi alto.

A repercussão negativa rompeu os limites da Paraíba e chegou ao Brasil com tons de deboche à ironia do fato.

Mas o santo de Ricardo Coutinho é forte.

Ele fechou a semana hoje trazendo debaixo do braço para o Estado o troféu da oscilação positiva da Paraíba no Ranking de Competitividade dos Estados, edição 2018, do Centro de Liderança Pública (CLP) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada e a Economist Intelligence Unit.

O movimento levou o Estado a subir mais um degrau. Agora é o 9º estado mais competitivo do Brasil e permanece como o primeiro do Nordeste.

A Paraíba se destacou e elevou o patamar nas áreas da infraestrutura e segurança pública.

Para o Governo, uma semana pra não esquecer. Em cinco dias, provou-se do fel e do mel.

Ricardo é feito gato: tem sete vidas.

Vídeo

Secretário de Segurança da PB vê “muita coisa boa” no Plano de Moro


Terapia federal

No auge da sua experiência, Dona Candinha já sabe o que o Governo Bolsonaro mais precisa nesse momento:

"Divã!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com quantos deputados a oposição realmente conta na Assembleia?
NÚMERO

65 e 62

Idades mínimas para aposentadoria de homens e mulheres, respectivamente, constante da proposta do Governo Federal para a reforma da Previdência.