Opinião

HackFest: MPPB antenado com presente e construindo futuro

18 de agosto de 2018 às 09h53 Por Heron Cid
Francisco Seráphico durante entrevista ao autor do Blog no Frente a Frente, da TV Arapuan

A proatividade, autonomia e independência do Ministério Público são umas das maiores conquistas brasileiras nos últimos tempos. Há sempre quem chie, ranja os dentes e jogue praga, mas no geral o cidadão confia e apoia. Não fosse esse apoio popular, a instituição já teria sido engolida pelos esforços pouco republicanos para imobilizá-la.

O HackFest, evcento realizado mais uma vez na Paraíba, identifica com letras garrafais o nível de engajamento do Ministério Público paraibano na tônica do fortalecimento de mecanismos legais e tecnológicos para ativar a cidadania e combater, com eficiência, a corrupção.

Não há democracia e nem normalidade institucional sem a garantia do controle externo, sem a qualificação desses órgãos, sem participação popular e, principalmente, sem arcabouço legislativo seguro, moderno e dinâmico para amparar o trabalho das instituições.

A tônica desse ano, Virada Legislativa, concentrou foco nesse aspecto. Os dispositivos legislativos que se coadunem com o avanço tecnológico na inibição e identificação dos cometimentos ilícitos contra o erário. Os dois braços precisam andar juntos para produzir efeitos e resultados efetivos e práticos.

A presença de procuradores da Lava Jato no evento, com relatos e compartilhamento de experiências exitosas, está sendo um ponto alto. A força tarefa provou que é possível nadar contra a maré num País em que o ‘normal’ era o engavetamento, a intimidação e a certeza de impunidade. Um paradigma quebrado e irreversível.

Melhor de tudo é saber que o HackFest continua apoiado e fortalecido pelo Ministério Público da Paraíba, na gestão do seu diligente e equilibrado procurador-geral Francisco Seráphico, integrante de uma nova geração do MP e representante consciente e convicto do papel indispensável desse ‘poder’ na garantia de uma ordem pública saudável, do respeito aos pilares do Estado de Direito e de uma nova sociedade em (re) construção.

Vídeo

Vídeo-opinião: apesar de tudo, a esperança dos jovens não morreu


Teste de nervos

De olho no temperamento dos nossos candidatos, Dona Candinha chegou a conclusão de que o próximo presidente do Brasil não precisa entender muito de economia.

"Basta contar até dez...!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Se der Haddad e Bolsonaro no segundo turno, com quem o PSDB vota?
NÚMERO

R$ 827 bilhões

Volume de dívidas dos estados. Rio de Janeiro é o pior quadro com R$ 127 bilhões de débitos públicos.