Opinião

Lucélio e Zé; ainda dá pra colar o cristal quebrado da Oposição?

20 de junho de 2018 às 11h06 Por Heron Cid

Entre maranhistas e cartaxistas, uns mais e outros menos, mas a tese levantada ontem pelo experiente deputado federal Marcondes Gadelha ressoou nos ouvidos da Oposição.

Gadelha falou sobre a possibilidade (ou necessidade) de José Maranhão e Lucélio Cartaxo, ambos candidatos oposicionistas, juntarem forças no mesmo palanque e ainda no primeiro turno.

Ainda dá para colar esse cristal quebrado? A priori, sim. Até onde a vista alcança, não há das duas partes nenhuma ofensa ou declaração grave.

O respeito mútuo, ao menos publicamente, foi preservado, entre os dois agrupamentos. A cisão ocorreu pelo choque e conflito de interesses e projetos.

Ao Blog, simpatizantes das duas alas compartilharam reflexão sobre o tema. Para a Oposição, a reunificação teria simbolismo conceitual e forte apelo de soma eleitoral.

No mínimo, seria o fato novo da campanha e deixaria a candidatura governista numa situação pra lá de desconfortável.

A questão é: quem topa ceder?

De posse de números alvissareiros nas pesquisas quantitativas, Maranhão tem uma carta na mesa.

Já Lucélio tem ao seu favor indicadores qualitativos que apontam para uma renovação e o pragmatismo de uma coligação já bem encaminhada.

Quando os dois lados têm trunfos, o jogo fica duro.

Vídeo

Entrevista MaisTV – João Azevedo: “Eu não serei pau mandado de ninguém”


Teste de nervos

De olho no temperamento dos nossos candidatos, Dona Candinha chegou a conclusão que o próximo presidente do Brasil não precisa entender muito de economia.

"Basta contar até dez...!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Se der Haddad e Bolsonaro no segundo turno, com quem o PSDB vota?
NÚMERO

R$ 827 bilhões

Volume de dívidas dos estados. Rio de Janeiro é o pior quadro com R$ 127 bilhões de débitos públicos.