Bastidores

História das Agulhas I: Mariz cobra responsabilidade do Governo

14 de junho de 2018 às 18h18

Procurador-geral de Campina Grande, o advogado José Mariz externou ao Blog na tarde desta quinta-feira uma cobrança ao Governo do Estado sobre a polêmica das agulhas no Parque do Povo.

Para Mariz, só há duas possibilidades: ou o Estado assume sua falha no desarmamento na revista das pessoas na entrada do Parque do Povo, se o fato for verdadeiro, ou admite que está havendo uma sabotagem contra o Maior São João do Mundo, se for mentira.

“Qual é a lógica do senso comum? Quem precisa de socorro busca no mais próximo possível. Perto do Parque do Povo, tem várias unidades de saúde, mas as pessoas foram ao Hospital de Trauma, 15 quilômetros de distância”, frisa.

“O próprio comandante da PM diz que não há registro desse fato no Parque do Povo”, acrescenta.

Por fim, Mariz sentencia: “Ou o Governo assume que mentiu, através de sua preposta (assessora comissionada do Hospital de Trauma) de Campina, ou ele não teve a precaução em fazer a abordagem correta, pela PM”.

Uma agulhada!

Comentários

Vídeo

Entrevista: Conselho traça ‘guia econômico’ para candidatos ao Governo


Em bom português

Dona Candinha mandou um torpedo para Neymar, na Rússia!

"Meu filho, menos cabelo e mais futebol!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Os candidatos deram uma trégua na Copa ou a Copa deu uma trégua para eles?
NÚMERO

R$ 1 bilhão

Recursos para o Fundo Nacional de Seguranca, a ser retirado do Fies, segundo números da Folha de São Paulo, posteriormente negados pelo Governo Federal.