Bastidores

Henrique “bucha de canhão” Meirelles. Por Ricardo Noblat

17 de maio de 2018 às 10h05
Henrique Meirelles e Michel Temer

Uma vez que se dispõe a pagar do próprio bolso todas as despesas de sua campanha a presidente da República, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles passou a ser usado por Michel Temer como bucha de canhão preferida – pelo menos no momento, e até quando lhe servir.

Sem chances de ele mesmo disputar as eleições, Temer dá corda em Meirelles para que o faça. Na pior das hipóteses, o ex-ministro será a única voz a defender a obra do atual governo e a reconhecer-lhe os méritos – nada mal para Temer cuja companhia é rejeitada por todos.

Na melhor, Meirelles funcionará para Temer como moeda de troca com o candidato que de fato venha a ganhar o seu apoio. O apoio do PMDB, Temer não poderá garantir. O PMDB são muitos, cada um com seus interesses particulares. Mas o apoio de Temer não é tão desprezível assim.

Ele tem a caneta. E ela ainda está cheia de tinta. Pode manejar, remanejar verbas e alocar pessoas em cargos chaves do governo. Isso tem lá seu valor principalmente às vésperas de eleições. Geraldo Alckmin, por exemplo, finge manter distância de Temer, mas sonha com a ajuda dele.

O desafio de Meirelles é crescer alguns pontinhos nas pesquisas para despertar algum entusiasmo nos que debocham da sua pretensão de ser candidato. Por ora, não há sinais de que crescerá. Por ora, Meirelles só está dilapidando uma fatia ainda pequena de sua imensa fortuna.

Veja

Vídeo

Vídeoentrevista: Jeová precisou vencer câncer, antes de ganhar eleição


Metando

Dona Candinha jura que Dilma deu um conselho a Fernando Haddad, nessa reta final de segundo turno:

"Deixa a meta aberta e depois dobra a meta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Crítico contumaz do PT e voz ativa no impeachment, Cássio Cunha Lima ficará em silêncio no segundo turno?
NÚMERO

R$ 6,7 milhões

Valores de recursos aprovados pelo BNDES para projetos de recargas de veículos elétricos.