Opinião

Todas as coisas ‘cooperam’ para os que amam o Jornalismo

11 de Maio de 2018 às 10h08 Por Heron Cid

Para quem não conhece, Michelle Farias é uma talentosa, dedicada e ética profissional da nova geração do jornalismo paraibano. O Portal MaisPB  tem a felicidade e o privilégio de contá-la em seus quadros, e o autor do Blog, que também acumula a função de editor-geral do Portal, o alívio de dispor da disciplina e labor dela na chefia de jornalismo.

Ontem, todos nós fomos premiados pelo troféu de Michelle, cuja reportagem intitulada “Cooperativa insere pessoas com deficiência no mercado de trabalho” arrebatou o segundo lugar na categoria webjornalismo do prêmio promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo e pela Organização das Cooperativas no Estado.

Na matéria, a jornalista contou a história de três pessoas com deficiência que venceram a intolerância e as dificuldades ao receber uma oportunidade de emprego através da cooperativa. Para Michelle, o tema abordado revela uma realidade que precisa ser ainda mais debatida.

“O mais importante foi dar visibilidade a essas pessoas, que até hoje sofrem pelo preconceito. Todos me relataram que ainda vivem situações onde são vistos como incapazes, que pensaram em desistir por conta de comentários”, contou.

Tão importante quanto o prêmio, o relato que só confirma sua sensibilidade profissional e seu compromisso com o jornalismo cidadão, um dos valores e pilares do MaisPB, felizmente absorvidos por toda a equipe. A começar da nossa maior cooperadora e líder da redação, que faz do ofício além de um sustento, mas uma devoção diária.

Comentários

Vídeo

Vídeo-entrevista: estatístico faz raio-x das candidaturas ao Governo da Paraíba


Disparidade inflamável

Dona Candinha, com uma frase retratou o Brasil das últimas horas:

"Tanque vazio e saco cheio!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Michel Temer aguenta o prolongamento da crise sem combustível popular?
NÚMERO

36

Anos fora da Copa do Mundo, a seleção do Peru, volta à maior competição do futebol mundial, depois de ficar de fora por oito competições seguidas.