Bastidores

Governo imprensa Lígia

9 de abril de 2018 às 16h51

A pressão política é grande em cima da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT). Ao Rádio Verdade – da Rede Arapuan de Rádios -, o secretário Luís Tôrres, da Comunicação, mirou petardos na direção da vice, tratada sob clima de desconfianças. “As desconfianças não são originads do nada. Às vezes, a ausência gera desconfiança”, apontou.

“O que se viu no período de decisão de Ricardo foi um distanciamento do PDT”, registrou o jornalista.

Tôrres admitiu que “houve um momento de indefinição “no qual “o próprio governador não sabia “o que faria.

E não escondeu que a renúncia em acordo com Lígia chegou a ser cogitada na intimidade do Governo, mas a solução não prosperou por ausência de interesse da vice.

“Se abriram várias possibilidades. Uma dessas aberturas é óbvio que tem que ser dada da parte interessada”.

A parte interessada – leia-se aqui – seria Lígia. Na ótica do Governo.

As declarações somadas à demissão de uma aliada, Fernanda Norat (adjunta da Cultura), têm uma meta: levar a vice – ela mesma – a pedir pra sair da base.

Vídeo

Entrevista – Ludgério desabafa: política chegou ao fundo do poço


Em alta

Nem esperou o parecer dos especialistas no tema, Dona Candinha já sabe a profissão que vai ganhar destaque em 2019:

"Motorista!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Depois da Operação Calvário, em três estados, contra a Cruz Vermelha, qual medida o Governo da Paraíba adotará?
NÚMERO

0,7%

Percentual do aumento sobre o valor do diesel, informa Petrobrás.