Bastidores

Queda de braço: Cavalcanti & Primo consegue fechar lojas Caoa

4 de abril de 2018 às 19h18
Loda da Caoa, em João Pessoa; uma das duas fechadas pela Justiça

Mais um capítulo da guerra comercial entre o grupo Cavalcanti & Primo e o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, Caoa. Hoje à tarde, o juiz Gustavo Procópio, da 2ª Vara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, determinou o fechamento imediato das duas lojas da empresa Caoa em João Pessoa, uma na Epitácio Pessoa e outra na BR-230, ambas são revendedoras da marca Hyundai.

A ação foi impetrada pela Daisan, do grupo Cavalcanti & Primo. Os advogados constatavam a concorrência com a CAOA, dona de maior facilidade para baixar o preço do produto, já que tinha, segundo a acusação, acesso a um valor mais baixo para revenda.

Antes, o caso foi parar no Superior Tribunal de Justiça. Agora, a Daisan deve ser finalmente reaberta.

A Justiça de João Pessoa não comeu a corda do caô da Caoa.

Vídeo

Vídeo-opinião: apesar de tudo, a esperança dos jovens não morreu


Aprendeu

Ao ver a última pesquisa, Dona Candinha disse que Marina Silva está igual a Neymar:

"Só cai!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Maranhão segura até o fim do primeiro turno à força das estruturas políticas dos adversários?
NÚMERO

R$ 700 mil

Valor do sequestro determinado pelo Tribunal de Justiça nas contas de nove municípios da Paraíba.