Bastidores

Lira sai do MDB e, no PSD, entra no jogo

3 de abril de 2018 às 10h53
Raimundo Lira tira amarras que imobilizavam seu projeto de reeleição

A filiação do senador Raimundo Lira ao PSD é uma construção de algum tempo. O parlamentar já vinha percebendo que estava completamente preso aos movimentos do colega José Maranhão, que comanda com mão de ferro o MDB. Foram muitas reuniões com o presidente estadual Rômulo Gouveia e com o nacional, Gilberto Kassab.

Permanecer onde estava, para Lira, era ficar com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar, como cantou Raul Seixas.

Ao sair da masmorra de Maranhão, Raimundo entra no jogo e agora tem espaço livre para buscar lugar numa chapa com condições de competitividade.

Livrou-se do risco de morrer de véspera.

Vídeo

Vídeo: ridicularização de Damares não é política; deboche é religioso


Então é Natal

Dona Candinha descobriu o que todo político brasileiro tem, independente de partidos e da época do ano:

"Amigo secreto!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
O que está faltando para João Azevedo anunciar o pouco que resta em aberto do secretariado?
NÚMERO

61,7 milhões

Produção de café em 2018, a maior já registrada na série histórico, segundo levantamento divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).