Bastidores

Cabedelo: peixes grandes na rede da PF

3 de abril de 2018 às 09h45
Para a PF, município portuário está cercado de águas turvas e banhado de suspeitas de corrupção

O poder público, no geral, é pródigo em desmandos contra o erário. Cabedelo foge à regra. Digo, consegue superar essa média com os abusos dos abusos.

Tava na cara que uma hora ou outra a cidade iria entrar na lupa das autoridades do Judiciário. Não deu outra.

Nesta manhã, figurões da cidade, incluindo o prefeito Leto Viana e a recém-eleita presidente da Câmara, Jaqueline Monteiro, mulher do gestor, foram acordados pela Operação Xeque-Mate.

A Polícia Federal e Ministério Público da Paraíba acusam o casal e mais cinco vereadores de corrupção na administração municipal. A Justiça liberou 11 mandados de prisão preventiva e de 36 de busca e apreensão em várias residências, incluindo a do empresário Roberto Santiago, em João Pessoa.

Oitenta e cinco servidores públicos, entre eles o prefeito e o vice-prefeito de Cabedelo, foram afastados dos cargos por decisão judicial.

No agora agitado mar de Cabedelo, a PF jogou a rede. E peixes grandes se debatem.

Confira lista de alvos dos mandados de prisão

Wellington Viana Franca (Leto Viana) – Prefeito

Jacqueline Monteiro Franca (esposa de Leto) – Vereadora e vice-presidente da Câmara

Lúcio José do Nascimento Araújo – vereador e presidente da Câmara

Tércio de Figueiredo Dornelas Filho – vereador

Rosildo Pereira de Araújo Júnior (Júnior Datele) – vereador

Antônio Bezerra do Vale Filho (Antônio do Vale) – vereador

Marcos Antônio da Silva dos Santos

Inaldo Figueiredo da Silva

Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho

Adeildo Bezerra Duarte

Leila Maria Viana do Amaral

Vídeo

Vídeo-opinião: apesar de tudo, a esperança dos jovens não morreu


Aprendeu

Ao ver a última pesquisa, Dona Candinha disse que Marina Silva está igual a Neymar:

"Só cai!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Maranhão segura até o fim do primeiro turno à força das estruturas políticas dos adversários?
NÚMERO

R$ 700 mil

Valor do sequestro determinado pelo Tribunal de Justiça nas contas de nove municípios da Paraíba.