Bastidores

Estadão: o impasse entre Ricardo e Lígia

20 de março de 2018 às 09h49
Vice-governadora mantém linha de discurso e evita críticas ao Governo

A conturbada relação política entre o governador Ricardo Coutinho (PSB) e a vice, Lígia Feliciano (PDT) foi destaque em reportagem publicada nesta terça-feira (20) pelo jornal Estadão. A matéria aborda os rompimentos ocorridos entre governadores e vices em virtude de posicionamentos divergentes para as eleições de outubro.

“No Pará e na Paraíba, ainda não houve rompimento oficial, mas os vices já anunciaram pré-candidaturas. Nos dois casos, os governadores não poderão se reeleger e apoiam outros nomes. Na Paraíba, o governador Ricardo Coutinho (PSB) quer como seu sucessor o atual secretário de Infraestrutura, João Azevedo (PSB). Preterida, a vice, Lígia Feliciano, foi lançada como pré-candidata ao governo pelo PDT para que faça palanque para o presidenciável da legenda, o ex-ministro Ciro Gomes”.

Os caminhos de Ricardo e Lígia, que se cruzaram em 2014, andam em mãos opostas, em 2018.

Vídeo

Vídeo-opinião: MDA mostra: Lula tem energia, mas não será fácil acender poste


Extinção de periferia

Dona Candinha disse a Neta que se  Geraldo Alckmin vencer a eleição, o Brasil deixará de ter bairros. A sobrinha inventou de perguntar a razão e ouviu a seguinte resposta:

"Só vai ter Centrão!!!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será a próxima prefeitura ‘alertada’ pelo Tribunal de Contas do Estado?
NÚMERO

33%

Aumento no número de servidores temporários, contratados pela Prefeitura de Campina Grande, no primeiro semestre de 2018, de acordo com alerta emitido pelo Tribunal de Contas do Estado.