Opinião

A nova cartada de Luciano

20 de março de 2018 às 10h39 Por Heron Cid
Luciano coloca candidatura de Lucélio na praça; irmãos startam movimento de construção de estrada própria

Nem Cássio Cunha Lima, Pedro, Manoel Junior e muito menos João Azevedo. O grupo político do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) quer entrar no mês de abril com uma candidatura com seu legítimo DNA.

Na praça, o nome do farmacéutico e ex-candidato ao Senado, Lucélio Cartaxo, irmão gêmeo do prefeito.

Dentro do staff cartaxista, a opção de Lucélio aparece como estratégia para auto-afirmação, cumprindo o script do movimento de independência política.

Ao sair do páreo, Luciano quer demonstrar força própria para botar seu time no tabuleiro que julgar mais conveniente.

Ao que parece, não quer entrar no jogo pelas mãos de terceiros. Muito menos ficar a reboque.

Agora, com partido próprio, o PV, a ordem é fazer valer a conquistada autonomia política.

Ao apresentar a carta Lucélio, que ainda visivelmente carece de substância política própria, Luciano marca posição no território e cria ambiente para negociar com os dois lados.

Ou, se necessário, aciona a terceira alternativa: sair em faixa própria, delimitando, definitivamente, seu espaço e construindo um grupo político para chamar de seu.

Comentários

Vídeo

Entrevista: Conselho traça ‘guia econômico’ para candidatos ao Governo


Em bom português

Dona Candinha mandou um torpedo para Neymar, na Rússia!

"Meu filho, menos cabelo e mais futebol!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Os candidatos deram uma trégua na Copa ou a Copa deu uma trégua para eles?
NÚMERO

R$ 1 bilhão

Recursos para o Fundo Nacional de Seguranca, a ser retirado do Fies, segundo números da Folha de São Paulo, posteriormente negados pelo Governo Federal.