Bastidores

O “fico” de Romero e o escorão no “Plano P”

15 de março de 2018 às 11h02
Anarriê da Justiça não alterará São João de Campina, avisa prefeito

Sem coletivas, sem alarde e nem cartas, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) se livrou do beco estreito criado pela necessidade de assumir, de vez, a pré-candidatura do PSDB, ou de precisar dar uma boa justificativa para declinação, depois de tanto insistir pelo apoio tucano.

Com uma notinha – simples e direta – na madrugada, Rodrigues a um só tempo anunciou, por gravidade, que fica na Prefeitura de Campina Grande e disse, nas entrelinhas, que não topa o Plano P, nome dado pelo Blog ao pré-projeto de candidatura do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ao Governo.

Se livrou das pressões, e diminuiu o oxigênio de Pedro, nome em ascensão que pode virar obstáculo e candidato natural à sucessão em Campina Grande.

Dois tucanos, numa só cajadada.

Vídeo

Secretário de Segurança da PB vê “muita coisa boa” no Plano de Moro


Terapia federal

No auge da sua experiência, Dona Candinha já sabe o que o Governo Bolsonaro mais precisa nesse momento:

"Divã!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com quantos deputados a oposição realmente conta na Assembleia?
NÚMERO

65 e 62

Idades mínimas para aposentadoria de homens e mulheres, respectivamente, constante da proposta do Governo Federal para a reforma da Previdência.