Bastidores

O “fico” de Romero e o escorão no “Plano P”

15 de março de 2018 às 11h02
Anarriê da Justiça não alterará São João de Campina, avisa prefeito

Sem coletivas, sem alarde e nem cartas, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) se livrou do beco estreito criado pela necessidade de assumir, de vez, a pré-candidatura do PSDB, ou de precisar dar uma boa justificativa para declinação, depois de tanto insistir pelo apoio tucano.

Com uma notinha – simples e direta – na madrugada, Rodrigues a um só tempo anunciou, por gravidade, que fica na Prefeitura de Campina Grande e disse, nas entrelinhas, que não topa o Plano P, nome dado pelo Blog ao pré-projeto de candidatura do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ao Governo.

Se livrou das pressões, e diminuiu o oxigênio de Pedro, nome em ascensão que pode virar obstáculo e candidato natural à sucessão em Campina Grande.

Dois tucanos, numa só cajadada.

Vídeo

Vídeoentrevista: Jeová precisou vencer câncer, antes de ganhar eleição


Metando

Dona Candinha jura que Dilma deu um conselho a Fernando Haddad, nessa reta final de segundo turno:

"Deixa a meta aberta e depois dobra a meta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Crítico contumaz do PT e voz ativa no impeachment, Cássio Cunha Lima ficará em silêncio no segundo turno?
NÚMERO

R$ 6,7 milhões

Valores de recursos aprovados pelo BNDES para projetos de recargas de veículos elétricos.