Opinião

Reta decisiva para João

9 de março de 2018 às 11h06 Por Heron Cid
Próximos dias definirão tamanho da candidatura de João, que precisa remover pedras e subir a ladeira

Os próximos dias, vinte e oito para ser mais exato, serão de expectativas e certa tensão dentro do Jardim Girassol.

Tudo, sem exceção, qualquer movimento ou conjectura, orbita em torno da decisão do governador Ricardo Coutinho, no já famoso 7 de abril.

Independente da opção de Ricardo, esse período é vital para a pré-candidatura do secretário João Azevedo, o ungido até aqui do PSB para a sucessão estadual.

Por que? Porque, se quiser mesmo impor a candidatura, João tem que pessoalmente consolidá-la, antes do veredicto de Ricardo.

Fortalecer sua postulação perante partidos políticos, prefeitos e lideranças e, especialmente, conquistar certa autonomia de voo.

Em resumo: sair do cordão de dependência de Coutinho. E isso não significa, nem de longe, desprezar o maior cabo eleitoral da disputa.

Pelo contrário.

É conquistar para si o protagonismo reivindicado pelo eleitor para que, chegando 7 de abril, sua caminhada tenha a mesma pisada. Seja qual for a estrada que Ricardo vai pegar.

Vídeo

Vídeo-opinião: mortes no MST, violência no palanque


Juro zero, tá ok?!

Depois de ter ouvido que o depósito de um ex-motorista na conta de Michelle Bolsonaro tratava-se de um empréstimo, Dona Candinha batizou a mais nova instituição de crédito no Brasil:

"Banconaro!!!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Ricardo Coutinho ocupará algum cargo, oficialmente, no futuro governo de João Azevedo?
NÚMERO

628 mil

Contribuintes que caíram na malha fina no Imposto de Renda 2018, segundo a Receita Federal.