Opinião

Cozinhado: hora de Luciano sair da fervura e pilotar o fogão

24 de fevereiro de 2018 às 08h44 Por Heron Cid
Dentro da panela de pressão, prefeito terá que inverter posição e determinar sua própria temperatura

O projeto político do prefeito Luciano Cartaxo chegou a um limite decisivo. Fevereiro praticamente se foi e os apoios públicos necessários e esperados para sua inserção definitiva no jogo de 2018 continuam em banho maria.

Todos os sinais são evidentes. Luciano está sendo ‘cozinhado’ – para usar um termo bem nosso – na lenha de líderes oposicionistas, com ou sem razão.

Dentro de uma panela de pressão, sem espaço para respiro, qualquer carne se desidrata. No caso da Oposição, o tempo de cozimento já passou do ponto.

Isso se o objetivo for mesmo achar o tempero certo e apurar bem o sabor. Do contrário, o preparo vira gosto ruim e todos podem sair perdendo e ainda assistir o banquete na mesa dos adversários.

No caso de Luciano, não dá mais para esperar. Se janeiro era um prazo apelado e tido como ideal, março já é mais do que o apito de alerta.

Como a Oposição nos bastidores culpa o prefeito pela ausência de uma posição pública pela candidatura, agora está nas mãos dele.

Cozinhado por setores da Oposição, chegou a hora de Luciano sair do caldeirão de hesitações e de passar a assumir o comando das labaredas do fogão.

Ele próprio é quem tem que determinar a temperatura de sua candidatura. Até onde o Blog apurou, Cartaxo já está com gás pra isso.

Vídeo

Vídeo-opinião: mortes no MST, violência no palanque


Juro zero, tá ok?!

Depois de ter ouvido que o depósito de um ex-motorista na conta de Michelle Bolsonaro tratava-se de um empréstimo, Dona Candinha batizou a mais nova instituição de crédito no Brasil:

"Banconaro!!!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Ricardo Coutinho ocupará algum cargo, oficialmente, no futuro governo de João Azevedo?
NÚMERO

628 mil

Contribuintes que caíram na malha fina no Imposto de Renda 2018, segundo a Receita Federal.