Bastidores

Procuradora questiona Termo de Cooperação PB-PE: “Quem paga a conta?”

12 de janeiro de 2018 às 12h41

Contundente no acompanhamento e fiscalização do uso da águas da Transposição do Rio São Francisco, a procuradora da República em Monteiro, Janaína Andrade considerou que a Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) não tem estrutura para gerir o recurso natural. Ela questiona o Termo de Cooperação firmado entre os Governos da Paraíba e Pernambuco para uso das águas do Rio Paraíba.

“Paira dúvida acerca do nível de complexidade de compensação de cota de água entre estados, especialmente quando se sabe que a Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) da Paraíba não tem estrutura para gerir o recurso natural que existe, imagine gerir e separar água do rio Paraíba do rio São Francisco. E ainda, a dúvida sobre quem vai pagar a conta pela água tratada. Paraíba ou Pernambuco? Enfim, embora possível teoricamente a compensação de cotas de água, não foram apresentados estudos técnicos para a operacionalização”, afirmou a procuradora.

Um reunião ocorrerá na sexta-feira (19) com deputados federais e o secretário João Azevêdo para debater a Transposição e o Termo de Cooperação.

Vídeo

Vídeoentrevista: Jeová precisou vencer câncer, antes de ganhar eleição


Metando

Dona Candinha jura que Dilma deu um conselho a Fernando Haddad, nessa reta final de segundo turno:

"Deixa a meta aberta e depois dobra a meta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Crítico contumaz do PT e voz ativa no impeachment, Cássio Cunha Lima ficará em silêncio no segundo turno?
NÚMERO

R$ 6,7 milhões

Valores de recursos aprovados pelo BNDES para projetos de recargas de veículos elétricos.