Bastidores

Há oito anos, um fato mudava política paraibana; história se repetirá?

11 de janeiro de 2018 às 08h51

11 de janeiro. Poderia ser uma data qualquer. Não no calendário político paraibano.
Há exatos oito anos, um fato emblemático mexeu com a vida partidária e os destinos do Estado.

Naquela data, o então ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) anunciava apoio à pré-candidatura do à época prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB).

Tal qual 2018, com o prefeito Romero Rodrigues, o PSDB convivia com a saia justa do desejo da candidatura própria do senador Cícero Lucena.

Mesmo assim, Cássio antecipou – seis meses antes das convenções – sua preferência a Ricardo. Um movimento decisivo para a vitória do socialista e o próprio triunfo do tucano nas urnas.

Detalhe, na ocisão do anúncio, José Maranhão, candidato à reeleição era o favorito.

Hoje, o quadro é diferente. O candidato mais bem posto da Oposição, Luciano Cartaxo, – prefeito de João Pessoa – aparece na liderança das pesquisas.

Portanto, Cartaxo não exagera quando pede definições em janeiro. A história e os números lhe dão razão.

Vídeo

Vídeoentrevista: Jeová precisou vencer câncer, antes de ganhar eleição


Metando

Dona Candinha jura que Dilma deu um conselho a Fernando Haddad, nessa reta final de segundo turno:

"Deixa a meta aberta e depois dobra a meta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Crítico contumaz do PT e voz ativa no impeachment, Cássio Cunha Lima ficará em silêncio no segundo turno?
NÚMERO

R$ 6,7 milhões

Valores de recursos aprovados pelo BNDES para projetos de recargas de veículos elétricos.