Opinião

Maranhão já conseguiu o que queria

5 de janeiro de 2018 às 10h03 Por Heron Cid

Experiência é um bem precioso. Ela é um fermento crucial para o atributo da sabedoria. José Maranhão, senador do PMDB e político em exercício de carreira mais longeva, sabe fazer uso do seu acervo acumulado.

Quando engrossa o discurso no terreiro da Oposição, vira o centro das atenções dentro dela e até no grupo governista, que assiste com expectativa e certa torcida organizada a novela protagonizado pelo cacique.

Ao conversar e se deixar ser fotografado ao lado do prefeito Romero Rodrigues, personagem importante no xadrez, Zé também puxa as atenções para si.

Com um bônus adicional: não pode ser criticado nem pela Oposição, que luta para demovê-lo, nem pelo o Governo, que flerta uma política de boa vizinhança com o PMDB.

Com isso, sabiamente, Maranhão já conquistou um ponto importante na pré- campanha.

Qual seria?

Enquanto o governo bate a cabeça internamente no dilema João Azevedo/Lígia Feliciano, o peemedebista aproveita para polarizar a discussão, o debate e os holofotes com o candidato favorito, até aqui, na disputa; o prefeito Luciano Cartaxo.

Para quem tem poucos instrumentos ao seu favor, é, convenhamos, uma jogada de mestre.

Vídeo

Vídeoentrevista: Jeová precisou vencer câncer, antes de ganhar eleição


Metando

Dona Candinha jura que Dilma deu um conselho a Fernando Haddad, nessa reta final de segundo turno:

"Deixa a meta aberta e depois dobra a meta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Crítico contumaz do PT e voz ativa no impeachment, Cássio Cunha Lima ficará em silêncio no segundo turno?
NÚMERO

R$ 6,7 milhões

Valores de recursos aprovados pelo BNDES para projetos de recargas de veículos elétricos.