Opinião

Aécio agora é com o Senado

13 de outubro de 2017 às 10h29 Por Heron Cid
Destino do tucano está nas mãos do Senado; imagem da Casa também (Foto: Pedro Ladeira/Folha)

Numa decisão passível de críticas, dada à omissão de prerrogativa, o Supremo Tribunal Federal repassou para as mãos do Congresso a decisão a ser tomada em relação ao caso do senador Aécio Neves, pego em situação pouco republicana com executivos da JBS.

Agora, portanto, o destino de Aécio está nas mãos dos seus pares. Não apenas o de Aécio. O senador vai dizer a opinião pública qual régua deve ser usada para tratar casos em que algum dos seus quadros melam a ética e sambam em cima da moral.

O Senado, que inflamou a jugular para garantir o seu ‘direito’ de ter a palavra final sobre prisão e penas a seus integrantes, tem agora a oportunidade de dizer o que realmente queria quando reivindicou, ameaçou e até chantageou o Supremo para cuidar pessoalmente do Caso Aécio.

A luta foi para a Casa, enquanto representação institucional e política dos Estados da Nação, apreciar ela mesma, com isenção e espírito público, os crimes praticados pelo senador em conversa gravada na delação da JBS ou simplesmente para minimizar, abafar, relevar e blindar o parlamentar e banhá-lo de impunidade?

Ao decidir qual régua usará para avaliar a situação do tucano, o Senado também vai escolher com qual tamanho quer ser, definitivamente, visto pela sociedade brasileira.

Vídeo

Vídeo: a dívida de Luciano Cartaxo com a Cultura em João Pessoa


Até que enfim…

Dona Candinha ao saber que o PT vai fazer cotinha para bancar nova caravana de Lula:

"Já estava na hora de gastar do próprio bolso!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quando João Azevedo, ungido do PSB, volta ao front?
NÚMEROS

241 mil

Famílias incluídas no Bolsa Família, no mês de outubro, o que zerou a fila de espera, segundo o Governo Federal.