Opinião

Aniversário: velas de Maranhão reacendem chama da aliança

16 de setembro de 2017 às 07h16 Por Heron Cid

Não basta ser, tem que parecer. O ensino vem desde o Império Romano e foi justificativa para o divórcio de César com Pompéia.

A aliança PSD, PMDB e PSDB passou nos últimos dias por uma crise de identidade. Sua unidade está sob suspeita, digamos.

Ao longo da história, os banquetes sempre serviram de espaço de socialização e comunicação. O jantar de aniversário do senador José Maranhão cumpriu esse papel.

Nele, o senador Cássio Cunha Lima e os prefeitos Luciano Cartaxo e Romero Rodrigues sentaram à mesa para celebrar os 84 anos do mais veterano político em atividade na Paraíba.

Um gesto político com forte carga simbólica. Não que o bolo corrigiu todas as eventuais dissensões que colocam em risco o fatiamento do bloco.

Mas porque dele se extraiu uma imagem que tem poder de antídoto contra a divisão.

Enquanto Maranhão apagava as velas, juntos eles voltaram a acender a chama de uma unidade que tem potencial político para outras comemorações. Nas urnas.

Comentários

Vídeo

Entrevista: Conselho traça ‘guia econômico’ para candidatos ao Governo


Morou?!

Dona Candinha diz que na estreia do Brasil na Copa do Mundo prevaleceu um discurso já surrado para justificar erros:

"Mais uma vez, a culpa sobrou pro juiz!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Raimundo Lira participará do processo eleitoral ou apenas assistirá de camarote?
NÚMERO

2,3

Queda de pontos do indicador de confiança do consumidor no Brasil.