Opinião

Ingredientes de uma receita de ascensão política

9 de agosto de 2017 às 10h33 Por Heron Cid

Poucos políticos em atividade na Paraíba desfrutam, no momento, da aura em torno do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo.

Pilotando a maior cidade e PIB eleitoral do Estado, depois de uma reeleição contra um poderoso grupo adversário, ostenta gestão equilibrada, com obras e serviços, e, consequentemente, bem avaliada pelos seus concidadãos, conforme os números.

Luciano – que cultiva uma relação pessoal e política arejada e sem conflitos – também desfruta da maré da auto-estima elevada da cidade. Isso catalisa em favor dele um sentimento do bom momento vivido por João Pessoa.

Sensação patente neste mês em que a Capital completa seus 432 anos de história.

Como todo governo, tem seus críticos e deslizes potencializados por uma Oposição azeitada e dura, mas nada (ainda) capaz de comprometer a imagem que tem, naturalmente,  projetado sua ascensão.

Do ponto de vista político, é alvo de uma notória expectativa de poder, em que pese a difícil escolha do afastamento do cargo.

Tem sabido se manter como alternativa real entre PSDB e PMDB, duas estruturadas forças partidárias, mas sem perder o protagonismo e nem ficar refém delas.

De todas suas conquistas, Luciano contabiliza uma essencial para um líder em processo de auto-afirmação: precisa de parceiros na sua caminhada, mas não depende de padrinhos. Isso faz diferença.

Vídeo

Vídeo: a dívida de Luciano Cartaxo com a Cultura em João Pessoa


Até que enfim…

Dona Candinha ao saber que o PT vai fazer cotinha para bancar nova caravana de Lula:

"Já estava na hora de gastar do próprio bolso!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quando João Azevedo, ungido do PSB, volta ao front?
NÚMEROS

241 mil

Famílias incluídas no Bolsa Família, no mês de outubro, o que zerou a fila de espera, segundo o Governo Federal.