Opinião

Wilson, pai e filho, na iminência de um erro político

19 de junho de 2017 às 11h08 Por Heron Cid
Ex-senador quer voltar a Brasília; operação pode custar sacrifício do filho e crucificar ambos

As bases já começaram a ser avisadas, sondadas, como noticiado nas Brasas do Blog, e o próprio ex-senador Wilson Santiago (PTB) admitiu em entrevista ao 60 Minutos – da Rede Arapuan de Rádios.

Sem mandato desde 2011, Santiago acha que está na hora de garantir um assento legislativo em 2018 e não mais aventurar nova disputa majoritária, como fez em 2010 e 2014, ambas sem êxito.

Wilson quer voltar à Brasília, onde fez carreira no PMDB, ganhou prestígio e desenvolveu muito trânsito político nos dois governos do então presidente Lula, graças a sua habilidade, traquejo e articulação.

Só tem uma pedra no meio do caminho. Para regressar, terá que sacrificar o ascendente mandato do deputado Wilson Filho e tentar remanejá-lo para uma vaga na Assembleia Legislativa.

Qual problema? Wilson Filho conseguiu a proeza de sair da condição de mero herdeiro de um cacique, vem conquistando personalidade própria e encarnando o sentimento da nova geração, que se coaduna com o novo momento da política brasileira, em conturbado processo de renovação.

Estabelecido em Brasília, terá que refazer toda a rota e descer para um degrau de diálogo com prefeitos, vereadores, lideranças. Traduzindo: a política pela política. Perderá todo o verniz que construiu do portfólio e das idéias que a atuação federal proporciona e lhe rendeu até participação na eleição de João Pessoa.

Um iminente erro de estratégia. Wilson, o pai, é muito mais afeito a esse contato com lideranças e o seu momento combina mais com o mandato de estadual, até pelas questões de organização do PTB, do qual é presidente na Paraíba.

Wilson, o filho, é mais maneiro e tende a atrair votos de opinião e de um segmento da juventude, movimento um tanto complicado para o pai, que – notadamente mais pesado – ficará totalmente a mercê de apoios de líderes locais.

Alguém vai dizer que tanto fez como tanto faz. Ledo engano. Não é bom brincar com os novos tempos e com um 2018 que se apresenta como incógnita.

Antes deste passo, pai e filho deveriam consultar o ‘espírito santo’ para não cometer o pecado de um erro que pode ser fatal. Para os dois.

Vídeo

Vídeo: LDO, do jurídico a um sinal político


Maior reduto do mundo

Dona Candinha foi ao Parque do Povo e ficou impressionada com o tamanho do Festival de Quadrilhas, mas desdenhou:

"Brasília tem mais!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Depois do PMN, qual próximo partido Luciano Cartaxo está de olho?
NÚMEROS

100 mil

Público estimado que assistiu ao show de Marília Mendonça, no Parque do Povo, em Campina Grande.