Bastidores

Um paraibano na UTI do Rio Grande do Norte

18 de junho de 2017 às 15h03

Com a crise, quase todos os Estados brasileiros inspiram cuidados.

Quebrado na emenda, o vizinho Rio Grande do Norte é um paciente em estado gravíssimo.

Nem Oposição e nem o Governo potiguar negam esse boletim.

Nesse quadro, pode se comparar Gustavo Nogueira, secretário de Finanças e Planejamento, ao médico intensivista.

Só que nesse caso, cabe ao paraibano manter o doente vivo, mesmo sem oxigênio na sala.

De 2016 para 2017, o Estado perdeu mais de R$ 213 milhões em receitas próprias.

De 2014 para 2016, as transferências da União caíram em quase R$ 1 bilhão.

Uma cirurgia de alta complexidade.

Vídeo

Vídeo: Guarda Militar, polêmica pra lá de temporária 


Seca

Dona Candinha sobre a novela do fim do racionamento em Campina Grande:

"O Governo quer acabar o racionamento, mas continua deixando os aliados com sede!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
O Brasil precisa de reforma política ou de reforma dos políticos?
NÚMEROS

154º

Posição do Brasil no ranking mundial de participação das mulheres no Parlamento, segundo a ONU.