Opinião

Um sanativo para Gervásio e Ricardo

20 de abril de 2017 às 09h06 Por Heron Cid
Presidente da Assembleia bota na conta soma de vitórias administrativas e políticas

A articulação do Governo percebeu, ainda em tempo, o erro de deixar espalhar aos quatro ventos desgaste pontual na relação do presidente da Assembleia, Gervásio Maia (PSB), e o governador Ricardo Coutinho (PSB).

A intenção talvez era desidratar o parlamentar. Não calculava que encontraria um Gervásio gelado.

Com uma só declaração, o presidente lá de Sousa, bem distante do Palácio, desmobilizou a operação e deixou muita gente tonta, sem reação. Inclusive os que trabalharam nos bastidores insuflando o governador.

Sob o risco de melindrar com um presidente de um Poder, com dois anos de mandato pela frente e condições de até montar até uma bancada, se quisesse, tal qual Ricardo Marcelo, o caminho mais recomendável foi o de apaziguar.

Seguindo o rito diplomático da proposta de pacificação, Gervásio afastou as especulações, mas não recuou num ponto; vai ficar longe de conjecturas majoritárias e cuidar de sua vaga na proporcional, estadual ou federal. Ou das duas.

Bem como Ricardo precisa de estabilidade na Assembleia, Gervásio também não pode descartar os benefícios e portas abertas na estrutura do Governo.

O caminho do sanativo foi o mais apropriado para cicatrizar feridas abertas pelo signo do fuxico e da intriga.

A briga dos dois, portanto, só interessaria aos adversários. De fora e de dentro.

Vídeo

Vídeo: LDO, do jurídico a um sinal político


Maior reduto do mundo

Dona Candinha foi ao Parque do Povo e ficou impressionada com o tamanho do Festival de Quadrilhas, mas desdenhou:

"Brasília tem mais!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Depois do PMN, qual próximo partido Luciano Cartaxo está de olho?
NÚMEROS

100 mil

Público estimado que assistiu ao show de Marília Mendonça, no Parque do Povo, em Campina Grande.