Opinião

CPIs: a nova queda de braço na AL

16 de março de 2017 às 10h26 Por Heron Cid
Mesa alega despacho administrativo normal; oposição vê manobra para barrar Empreender

Quando a bancada do Governo protocolou, silenciosamente, dois pedidos de instalação de CPIs desconexos, e sem muito sentido no começo da tarde de ontem, já estava desenhado o cenário de confronto com a oposição.

Os pedidos, no mínimo, cumpririam o papel de embaralhar o jogo e tumultuar a fila, que tinha a ruidosa CPI do Empreender na vez.

O script esperado aconteceu: o presidente da Assembleia, Gervásio Maia, num despacho só arquivou logo cinco pedidos, incluindo, o do Empreender.

As demais cumpriam apenas tabela. Indústria de multas em João Pessoa, Telemarketing, venda de ações da Saelpa e Celb e a CPI da FPF.

O comando legislativo deve dar muito pano pra manga. A oposição, desde ontem, classifica o movimento de manobra obscura para sepultar a investigação de suposto uso eleitoral do programa de microcrédito.

A Mesa sustenta apenas deliberação administrativa normal e prevista em Regimento.

Seria uma justificativa razoável não fosse a coincidência com o avanço do processo no TRE.

Vídeo

Vídeo: a dívida de Luciano Cartaxo com a Cultura em João Pessoa


Até que enfim…

Dona Candinha ao saber que o PT vai fazer cotinha para bancar nova caravana de Lula:

"Já estava na hora de gastar do próprio bolso!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quando João Azevedo, ungido do PSB, volta ao front?
NÚMEROS

241 mil

Famílias incluídas no Bolsa Família, no mês de outubro, o que zerou a fila de espera, segundo o Governo Federal.