Opinião

O presidente Michel Temer e o papel da mulher… Dele

9 de março de 2017 às 10h14 Por Heron Cid
Diante do marido, Marcela ouve o marido reduzir seu papel no Dia da Mulher (Jorge William / Agência O Globo)

Nem todo orador, por mais experiente e preparado que seja, é bom de improviso. O presidente Michel Temer, apesar de larga convivência com as câmeras e solenidades oficiais, provou ontem que não deve se arriscar tanto.

Os deslizes que cometeu em seu discurso ao se referir às mulheres funcionaram como rastilho de pólvora, com reações pra lá de naturais contra um festival de bobagens verbalizado pela boca mais importante da hierarquia nacional.

Mas o que esperar do improviso de um governante improvisado como a solução menos ruim pós-impeachment de um governo deteriorado, antes de completar dois anos de eleito?

A visão de Temer sobre o papel da mulher na sociedade só não supera o ridículo do seu núcleo duro, formado por um Ministério que cai como dominó desgovernado, por escândalos e desajustes.

Na presença da primeira-dama, Temer limitou às mulheres o papel da educação doméstica e colaboradora da economia pela ‘capacidade’ de percepção das altas e baixas nos preços do supermercado.

Mas a fala presidencial não foi de todo desastrosa e para algo serviu. Só assim já dá para a Nação supor qual a verdadeira missão reservada por Temer à bela e recatada dona Marcela, além “do lar”.

Deve ser a ‘eficiente’ pesquisadora de campo a serviço da, nem tão eficiente, equipe econômica do Governo.

Vídeo

Vídeo: Guarda Militar, polêmica pra lá de temporária 


Seca

Dona Candinha sobre a novela do fim do racionamento em Campina Grande:

"O Governo quer acabar o racionamento, mas continua deixando os aliados com sede!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
O Brasil precisa de reforma política ou de reforma dos políticos?
NÚMEROS

154º

Posição do Brasil no ranking mundial de participação das mulheres no Parlamento, segundo a ONU.