Opinião

O significado dos acenos do Governo a Luciano Cartaxo

20 de fevereiro de 2017 às 12h22 Por Heron Cid

A política é dinâmica, sintetizou o ex-deputado Manoel Gaudêncio em célebre frase que é seguida ao pé da letra pelos político paraibanos.

Dinamismo que fundamenta as sinalizações de armistício do Exército Girassol ao prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo.

Pétalas importantes já pisaram no freio nos ataques e críticas a gestão municipal e começam a dar declarações amenas e admitir interesse em reaproximação.

Movimentos que podem ser interpretados sob duas visões bem distintas.

A primeira, uma demonstração de fragilidade, na interpretação de personagens da aliança PSD, PMDB e PSDB.

A segunda, uma estratégia inteligente de reabertura de portas com uma liderança ascendente e uma tentativa de romper o isolamento político.

Pelo quadro – marcado pela atual debilidade e diminuição de perspectivas – para 2018, as duas óticas se complementam.

O PSB, assim, junta o útil ao agradável. E ainda ganha um bônus especial: joga para criar um clima de desconfianças no arraial dos adversários.

Para Luciano, que até ontem era alvo de desqualificações, nada mal. Ninguém acha ruim ser assediado pelos dois lados.

Vídeo

Vídeo-comentário: quem tem medo de CPI?


Uma letra faz toda diferença

Dona Candinha, curta e grossa, sobre a nova viagem internacional do presidente Michel Temer:

"Enquanto ele está na ONU, a gente está no ônus!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Depois de um ano de debate, o arremedo feito no Congresso pode ser chamado de reforma?
NÚMEROS

78%

Percentual de desaprovação de imagem do presidente Michel Temer, na visão de jornalistas latino-americanos.