Opinião

Luciano e Manoel começam afinar agora a música de 2018

17 de Fevereiro de 2017 às 09h20 Por Heron Cid
Prefeito e vice começam cumprindo mandamento de ordem: tocar a mesma nota

Desde que aceitou a indicação do PMDB, articulada pelo PSDB, e abrigou o deputado federal Manoel Júnior na sua vice, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, sabia que seu futuro político para 2018 estaria, dalí para frente, atrelado, em algum grau, ao peemedebista.

Quando Manoel topou assumir a vice, essa correlação ficou sacramentada. Daqui em adiante, os dois têm necessidade de construção de uma relação aproximada e, quem sabe, de confiança e reciprocidade.

Cartaxo começou dando gestos ao seu vice. Entregou a Secretaria de Saúde, o que não prosperou pela incompatibilidade do indicado, o anestesista José Carlos Evangelista, mas em nada abalou Júnior que, posteriormente, até declinou de fazer nova sugestão para evitar embaraços.

Agora, Luciano dá um novo e emblemático sinal. Licencia-se do cargo e entrega a chave da Prefeitura para o ex-deputado federal, agradando ao próprio e afagando o ego do PMDB, partido com quem ambos precisam no presente e no futuro. E essa interação depende de ações concretas.

Condicionados pelo cenário de 2018 a estarem no mesmo barco, Luciano e Manoel caminham na direção certa. A mesma direção. O futuro e ascensão dos dois estão diretamente influenciadas pelo êxito dessa parceria. Como uma dupla, de primeira e segunda voz, que depende da afinação. Do contrário, nem Manoel assume o palco da Prefeitura e nem Luciano entra na turnê Palácio 2018.

Comentários

Vídeo

Vídeo: ex-secretário revela bastidores de atuação da Okaida e Estados Unidos


Grito de guerra!

Embalada pela intervenção no Rio, Dona Candinha ressuscitou o bordão da Tropa de Elite para resumir o que pensa do Governo Temer:

"Pede pra sair!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Até quando a Oposição vai cozinhar Luciano Cartaxo?
NÚMERO

50

Número de prefeitos recebidos esta semana pelo senador Raimundo Lira (MDB), em Brasília. Todos buscando emendas parlamentares.