Opinião

Gervásio Maia foca dever de casa de 2017 antes do vestibular de 2018

15 de Fevereiro de 2017 às 06h29 Por Heron Cid

Na segunda semana após a posse, o presidente da Assembleia, Gervásio Maia, já começou a sentir mais a fundo o desafio administrativo de operar a máquina de um Poder. Cercou-se de todos os cuidados, desativou possíveis armadilhas e caminha para desobstruir gargalos.

Nem precisou muito tempo para ele chegar a conclusão que muito do seu futuro político depende da condução acertada e proativa da sua missão do agora. Vacina-se para acertar mais e cometer o mínimo de erros.

É a imagem que construirá que exercerá forte influência sobre seu papel e tamanho na eleição de 2018, ano em que o governador Ricardo Coutinho buscará um quadro para sua sucessão e Gervásio aparece como uma dessas opções.

Ao Frente a Frente, da TV Arapuan, ontem, Gervásio se apresentou comedido com o tema eleitoral, embora pouco consiga disfarçar a magia do entusiasmo da lembrança de seu nome para pilotar um projeto estadual bem avaliado.

Maneiro, leve e descontraído, o presidente evita euforia e até elogia concorrentes internos, como é o caso da vice-governadora Lígia Feliciano. No máximo, afaga o Governo, o PSB e a militância girassol, a quem reconhece receptividade calorosa, após a saída do PMDB.

Estimulado nos bastidores, em público Gervásio opta pela cautela recomendada para não ultrapassar o limite de velocidade. Percebeu que só estará inscrito no vestibular de 2018 se fizer bem o dever de casa de 2017. Como o futuro passa por muitas variáveis e incógnitas, concentra-se na tarefa do presente.

Comentários

Vídeo

Vídeo: o que motiva Maranhão a manter a candidatura


Consolo

Dona Candinha ligou para o Blog para revelar o primeiro pedido de Garotinho ao chegar pela segunda vez na cadeia.

"Uma chupeta!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Prestes a ser aposentado por impopularidade, Temer conseguirá aprovar a Reforma da Previdência?
NÚMERO

69%

Jornalistas latino-americanos que desconfiam de empresas estatais, conforme dados do Instituto Ipsos.