Opinião

Ricardo começa a cobrar definição de Lira

12 de fevereiro de 2017 às 06h58 Por Heron Cid

A neurolinguística explica bem as mudanças e variações na fala. Nem precisar ser um expert dessa ciência para identificar a alteração do tom de voz e discurso do governador Ricardo Coutinho em relação ao senador Raimundo Lira, nos últimos dias.

Alimentado por setores do Governo, Lira ensaiou movimento de insurreição dentro do PMDB peitando a liderança e comando do colega e presidente estadual da sigla, José Maranhão. Posteriormente, deflagrou processo de pacificação com Maranhão, mas experimentou dissabores recentes com a cúpula nacional no processo de eleição da CCJ.

Em Campina Grande, ontem, conforme matéria de hoje no Portal MaisPB, Ricardo fez uma cobrança sutil a Raimundo Lira, ao ser questionado pelo jornalista Arimatéia Souza se não era hora de formular ou reformular convite ao peemedebista de filiação ao PSB.

Ricardo se esquivou totalmente do convite e entregou a Lira a decisão de ficar ou sair do PMDB, aconselhando o senador a “olhar para frente” e registrou, sem arrodeio, que vê um processo de disputa e isolamento do parlamentar no partido.

“Se ele vai sair, o destino dele cabe a ele definir”, lapidou Coutinho, em frase seca e suficientemente fácil de ser interpretada como de autoria de alguém que está cansando de esperar e prestes a perder a paciência… Atributo escasso ao governador e excedente em Lira.

Vídeo

Vídeo: Guarda Militar, polêmica pra lá de temporária 


Fôlego

Dona Candinha me ligou para dizer que a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) é cardiologista, mas está em fase de teste dos pulmões:

"Pense num mergulho!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quando cogita votar em Maranhão, o PSB não diminui seu pré-candidato?
NÚMEROS

154º

Posição do Brasil no ranking mundial de participação das mulheres no Parlamento, segundo a ONU.